Talvez eu seja a tal "diferentona"

img_4401Talvez eu seja a tal “diferentona”, talvez eu me agrade mesmo das coisas que não se consegue enxergar à primeira vista, de qualquer forma, me acho 100% certa nesse quesito.

Imagine só, estar em uma lago pela manhã, e achar ele lindo, maravilhoso, mas conforme vai caindo a noite, você descobre que o que se viu pela manhã não era nada perto das luzes dos vaga-lumes, dançando sobre o brilho da lua refletido nas águas. E assim, assim se descobre que tudo e todos carregam algo magnífico no seu íntimo, no seu ver particular, poucas pessoas talvez tenham visto a beleza do lago a noite, apenas por ter decidido ficar só pela manhã.

Assim é com você mulher, muitos admiram a tua beleza exterior, as tuas curvas, curvas essas que deveriam estar bem guardadas para quem realmente merece observar e tocar pessoalmente. Poucos irão admirar a grande mulher que tu és, poucos verão a tua alma refletida nos teus olhos, poucos verão o paraíso no teu sorriso, e aconchego em teus braços. E isso é triste, pois o carnal tem falado mais alto.

Cobre teu corpo mulher, esse é teu bem mais precioso e não deve ser entregue a qualquer viajante do mundo, não deve ser entregue a quem só te olha com desejos,  não com amor. Talvez eu seja a tal “diferentona”, que acha que antes do corpo vem a alma, que antes do beijo vem o abraço, o carinho e respeito.

“Talvez eu realmente seja a tal diferentona“.