Destino

E você acredita em destino? Acredita que já está tudo escrito? Que tudo que acontece ou vai acontecer não dá para mudar? Acredita? Vou falar, já acreditei muito nisso, já pensei muito tempo assim. Que não adiantava o que eu fizesse ou deixasse de fazer, nada iria mudar, já tinha algo reservado, e tudo ia me levar para aquele caminho, ou lugar, para aquele destino. Continuar lendo Destino

Se eu pudesse voltar no tempo

Se eu pudesse voltar no tempo, faria tudo diferente no relacionamento. Eu seria menos insegura. Eu sentiria menos ciúmes. Eu seria menos dramática em determinadas situações. Eu criticaria menos e elogiaria mais. Eu prezaria mais pela individualidade. Eu passaria mais tempo com meus amigos e minha família. Eu não deixaria minha essência se perder como se perdeu. Eu seria quem realmente sou e jamais deixaria que meu brilho se apagasse como se apagou. Continuar lendo Se eu pudesse voltar no tempo

Sonhos de criança, desejos de adulto

Quando eu era criança, sonhava com várias coisas, como viajar para os Estados Unidos e ser um diretor de cinema mais famoso e memorável que o Quentin Tarantino; ser um grande músico de personalidade tão marcante como Freddie Mercury ou Bon Jovi; ser um Indiana Jones da vida real e revelar os segredos da Grande Pirâmide; ser tão famoso e atemporal como Alexandre, o Grande ou até mesmo ser uma mistura de Elon Musk com o Cooper do filme Interstelar, fazendo de tudo para salvar a humanidade e levá-la para o além do conhecido…

“Enfim, eram muitas coisas, muitos sonhos, como de qualquer moleque que achava ser único e especial. E convenhamos, não havia nada de errado nisso!”

(…)

Mas o tempo foi passando, e a malícia do mundo veio se mostrando sutilmente para mim em cada brecha que podia. Eram coisas como a desigualdade, maldade, violência, sexualidade explicita e afins do mesmo gênero que permeavam através de mim, mas tudo no seu “devido tempo”. E isso, eu achava que era normal, achava que eram as famosas pedras no meio do caminho que todo mundo falava, portanto deveria ser fácil driblar elas, afinal era só olhar para o chão e andar com atenção, correto?

Não foi bem assim…

O tempo passou mais uma vez, a fase da rebeldia e anarquia foi embora, a fase do 220 foi diminuindo até chegar ao 110. Tive de aprender tudo o que não quis aceitar. Aprendi que saudade fazia parte da vida, que a maldade infelizmente sempre existiria, que um a mais não faria a diferença em uma causa, coisas assim, difíceis de se engolir… Não me entenda errado, eu não deixe-me moldar pelo ambiente. Eu só olhei a mesma paisagem de um outro ponto de vista.

Agora, gosto do simples, e meu amigo, de simples só tem o nome mesmo, porquê… Que sonho! O que quero hoje é morar em uma cidade pequena e calma, com brisa de vento que bate no rosto suavemente e um Sol sem calor toda manhã e tarde, junto de uma casa no estilo chalé com um campo maior que ela. E viver com alguém que mereça um espaço aqui no coração, é claro… Viu, meu amigo? Dizer que é simples é pura humildade, porque isso sim que é riqueza, isso é sinceridade consigo mesmo, isso é vida (pelo menos para mim).

“Eu achava que tudo era uma questão de quando, e não como e porquê, eu achava que ser especial era fazer diferente, mas mal sabia que o especial vem do que é genuíno e de coração; queria o mundo quando na verdade só precisava do meu espaço nele.”

📷 @ig_humanplus