Maturidade

Depois de vários dias tentando encontrar palavras certas, para começar a escrever sobre maturidade, percebi que é algo tão complicado de escrever. Pense em algo complicado, agora “pense” sobre maturidade? Pois é… É bem difícil mesmo.

Pois, quando se tratam dos problemas dos outros ou das situações alheias, sempre somos maduros os suficientes para tomar decisões simples, rápidas, egoístas e frias. Damos conselhos, sabemos falar sobre quaisquer assuntos, somos experts em qualquer tema, e, aí se alguém precisa da gente, estamos lá falando várias coisas que a pessoa devia ou não devia fazer.

Mas… Quando se trata da gente, puts! (Desculpe-me a palavra). Transformamo-nos na pessoa mais leiga de todas. Perdemos o rumo, as estribeiras, o senso de direção e aquela pessoa que dava conselhos, precisa desesperadamente deles. Pois, sua maturidade não é suficiente.

Quando envolve as paradas do coração? Iiiiihhh… Sujou! Rsrsrs… Pronto, maturidade nessa hora passa longe, mas, com o passar do tempo, todos criamos um pouco de maturidade e começamos a lidar com nossos problemas e nossas aflições, sozinhos. Sem muito desespero e assim continuamos a crescer. Pois, a maturidade vai se adquirindo com o passar dos anos, com as quedas, as perdas, as escolhas certas e erradas.

É assumir as consequências, é saber a hora de parar, perceber onde quer chegar, o que pretende alcançar e é ter consciência de quando devemos continuar lutando por aquilo que queremos. Maturidade tem muitos sinônimos e significados. É quando você passa a seguir em frente, lutar pelo que realmente importa. Procurar bom senso em todas as suas escolhas, aceitar e entender. É ter paciência e tranquilidade para saber balancear os sentimentos e os pensamentos e fazer com que o coração seja parceiro da sua mente.

Apesar de que idade não significa o grau de maturidade que a pessoa tem, é com o passar dos anos que adquirimos maturidade, mas, nem sempre vemos isso nas pessoas. Encerro com um pensamento muito bacana.

“Maturidade me permite olhar com menos ilusão, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura”. (Lya Luft)