Sinto

img_4030Já fui muito de demonstrar o quanto gostava de alguém, não tinha medos, não tinha receio de ser eu, me arriscava mais, me apaixonava, me envolvia, me declarava mais. Poxa, porque ter medo do amor?! Eu pensava assim. Achava que o amor era para ser vivido, ser declarado, achava que amar era se entregar, e viver coisas inesperadas.

Depois de um tempo, vi que continuava um pouco certo no que pensava, então eu nunca desisti do amor, mas passei a acreditar, a confiar menos nas pessoas, passei a desistir, não do amor, mas das pessoas. Pois, infelizmente vivemos assim, onde as pessoas nem sempre sabem o que é amor, o que significa amar.

Difícil realmente decifrar o amor, mas sentir ele dentro da gente, é bem fácil, demonstrar um pouco difícil, mas fingir ele é triste. Você se enganar com o amor, pode até acontecer, mas não engane quem te ama, isso já é sacanagem. E foi assim que decidi ser um pouco mais trancado, foi assim que passei a fechar um pouco meu coração, pois decepções sempre vem, não com o amor, mas com as pessoas que dizem nos amar.

Passei sim a investir mais ainda no meu amor próprio, na minha felicidade pessoal, profissional, passei a demonstrar menos, a me entregar menos, dizer menos, e esperar muito mais a tal reciprocidade, decidi que tinha que sentir realmente o amor vindo de quem queria estar ao meu lado, pois não queria mais machucar meu coração, por sentir tanto.

“Porque amor é para sentir e para ser sentido pelo coração”.

Sobre o autor

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Publicado por

Mauro Garcia

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.