Deitado numa rede segurando uma caneca

Refúgio

Às vezes se refugiar é a melhor forma de se encontrar, ou se reencontrar, de tentar achar você de novo, de viver um pouco para você. É tentar ver seu interior, sentir seu coração, colocar os pensamentos em ordem, procurar preencher o vazio que está em seu coração que só você mesmo pode fazer. Reorganizar a mente, e tirar as lacunas que insistem em atrapalhar o seu raciocino e discernimento.

E nessa vida passamos por muitas coisas, boas e ruins, que nos fazem bem ou nos deixam para baixo, coisa que nos ensinam ou que apenas nos machucam de uma forma irremediável. E por mais que sejamos fortes, algumas coisas, nos deixam tão fracos e impotentes, que acabamos desistindo de tentar novamente, e apenas decidimos nos acalmar num canto, onde ninguém possa interferir e assim ter um tempinho só para si.

Você acaba criando vários mecanismos de defesa, tentando se proteger de algo que nem deveria às vezes, mas não é errado ou certo, só não pode interferir tanto na sua vida. Cada um cria algo ou lugar onde possa se refugiar, onde a paz faça uma morada, onde fique fácil de se encontrar novamente, lugares que você tenha tranquilidade para a vida.

E é isso que tenho feito ultimamente, me refugiado um pouco, me afastado das pessoas, da convivência continua, de relacionamentos, estou eu aqui, me refugiando nos meus textos, nas minhas palavras e pensamentos soltos. Foi essa a melhor forma que encontrei, pois cada um tem seus medos, e às vezes é bem mais fácil não enfrentá-los, e apenas se recolher e se afastar um pouco do que você não quer de novo.

“Encontrar-se é a melhor maneira de ter paz no coração e mente.”

📷 @thefolkpr0ject | 📅 Publicado em: 21 de outubro de 2016


Sobre o autor

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Publicado por

Mauro Garcia

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Um comentário em “Refúgio”