Alguém segurando uma bússola

Pode ser que sim, mas também pode ser que…

Pode ser que você fique milionário (a) no próximo sorteio de loteria, mas pode ser também que a vida te pegue numa curva aos cinquenta sem ter feito o que queria.

Pode ser que você tome decisões importantes, mas existem momentos na vida em que decisões importantes resumem-se a tomar um café e rir das circunstâncias.

Pode ser que você leia jornais com conteúdos sobre política, bolsa de valores e a última contratação de seu time de futebol. Mas você já experimentou ler Dom Quixote e depois se olhar no espelho e perguntar-se quem é o cavaleiro da triste figura?

Pode ser que faça calor ou chova, e você reclame de ambas as coisas. Quero que me diga na verdade é quando foi que plantou sua última árvore.

Pode ser que esteja acalentando o sonho de comprar um pedaço de terra no fim do mundo e isolar-se de tudo. Ou talvez já esteja isolado (a) de tudo cercado por dezenas de pessoas.

Pode ser que adore música e não tenha aprendido a dançar.

Pode ser que possua um belo discurso, mas ninguém o incentive a falar, pode ser que fale o tempo todo, mas não encontre quem o queira escutar.

Pode ser que exista vida em outros planetas. Mas cá entre nós, quanta vida já não foi desperdiçada aqui embaixo?

Pode ser que você se sinta feliz com amigos, pode ser que seja feliz em meio à multidão, mas pode ser que você se sinta feliz sozinho (a), mas caso não se sinta feliz com você mesmo (a) comesse a se perguntar quem gostaria de sua companhia.

Pode ser que sua vida e suas escolhas sejam um sucesso lá fora, mas o que seu coração lhe diz quando o papo é sobre a parte de dentro?

Pode ser que esse tal de amor te encontre de bobeira numa tarde chuvosa, num ponto de ônibus, numa sala de aula ou até mesmo na fila de um banco, mas e você? Sabe o que fazer quando encontrar esse tal de amor? Sabe como tratá-lo? Sabe reconhecê-lo? Sabe que tipo de adubo se usa nessa planta para que ela não murche?

Pode ser que a vida seja um jogo de videogame, desses em que é preciso pegar as recompensas e fugir das armadilhas, mas a chance de reiniciar esse jogo é zero.

Pode ser que você faça yoga, meditação, leia livros de autoajuda e pratique respiração, mas perca a calma e a postura com uma fechada de transito ou o salto alto de sua vizinha no apartamento de cima. Que coisa louca é construir essa tal de calma não mesmo?

Pode ser que você seja vegano, ex-fumante, religioso ou naturalista, mas já percebeu o quanto é gratificante ser apenas você?

Coma carne se quiser, beba vinho ou então cerveja. Viva sua religiosidade, seja ateu, mas lembre-se, suas escolhas fazem parte de seu pequeno planeta, não tente colonizar outros indivíduos com sua bandeira.

Talvez exista sempre uma luz no fim do túnel, mas por pura precaução lembre-se de levar sua própria lanterna.

Talvez você tenha sonhos. Sonhe sempre, sonhe muito, pois um homem sem sonhos é um homem morto, mas não sonhe em demasia. O sonho é um barco sem velas solto ao sabor das ondas, mas é apenas quando os pescadores lançam suas âncoras que a pescaria começa de verdade.

Talvez você saiba pouco sobre os mistérios da vida, mas posso te dar alguns conselhos: Quando criança brinque, procure quebrar pelo menos uma vidraça e nunca deixe de apostar corrida e brincar na enxurrada.

Quando jovem, aproveite seu corpo, dance, pule, faça balé, faça sexo, faça planos, pense na vida, repense a vida e não pense em nada, seja rebelde, apaixone-se e se desiluda, e depois mantenha esse fluxo continuo, pois não importa a quantidade de paixões e desilusões, para uma vida curta nunca será o bastante. Se quiser e puder apaixone-se e se desiluda com a mesma pessoa. Também chamam isso de convivência e cumplicidade.

Quando velho, aproveite seu corpo, dance, pule, faça balé, faça sexo, faça planos, pense na vida, repense a vida e não pense em nada, seja rebelde, apaixone-se e se desiluda, e depois mantenha esse fluxo continuo, pois não importa a quantidade de paixões e desilusões, para uma vida curta nunca será o bastante. Se quiser e puder apaixone-se e se desiluda com a mesma pessoa. Também chamam isso de convivência e cumplicidade.

Sim, repita tudo o que fez na sua juventude e jamais deixe que seu RG dite as regras, mas por via das dúvidas, tome cálcio e pegue leve com o Kama Sutra.

Pode ser que sua vida melhore, mas também pode ser que piore, mas acredite a vida em si não é a culpada por nada disso.

Pode ser que seu diploma alavanque sua carreira ou te ajude a construir uma, mas não se esqueça de junto com o diploma levar também o seu conhecimento adquirido, tem diploma demais e conhecimento de menos no mercado.

Pode ser que tudo dê errado, que os planos não funcionem que os sonhos não se realizem e que a vida se negue a ser límpida clara e bela, mas recomece. Recomece sempre, afinal a vida trata-se de um eterno pode ser que sim, mas pode ser que não ou quem sabe um talvez.

Em terra de pessoas cheias de certezas, quem possui dúvidas sempre acaba apedrejado.

📷 @girlscreating


Sobre o autor

Piauiense e escritor. Seria fácil esboçar palavras que criassem em seu pensamento a ideia de quem sou, mas que porra de sentido isso faria se as mesmas meras palavras nas quais tentaria me descrever são meios que uso para compor fantasias em uma caótica realidade? Se queres um nome, me chamo Franklin, porém para saber quem sou, chegue um pouco mais perto e já que “talvez” você não possa, então contente-se com sua imaginação nas vagas idéias que terá sobre quem eu sou.

Publicado por

Franklin S. Monteiro

Piauiense e escritor. Seria fácil esboçar palavras que criassem em seu pensamento a ideia de quem sou, mas que porra de sentido isso faria se as mesmas meras palavras nas quais tentaria me descrever são meios que uso para compor fantasias em uma caótica realidade? Se queres um nome, me chamo Franklin, porém para saber quem sou, chegue um pouco mais perto e já que “talvez” você não possa, então contente-se com sua imaginação nas vagas idéias que terá sobre quem eu sou.