Caixa de correio

O que não disse

Decidi então te escrever uma carta, peguei caneta e papel. Me sentei e comecei a escrever… “Oi…” Depois disso me peguei sonhando e pensando em tudo o que eu poderia lhe falar, em tudo que eu deveria ter falado e sei lá por qual motivo eu não te falei.

Poderia escrever sobre tudo que vivemos, sobre nossas trocas de olhares. Quem sabe falar o quanto fomos felizes juntos. Lembrei de todos os momentos bons que vivemos, de todos os sorrisos. Eu não esqueci das nossas brigas, nem dos nossos desentendimentos. Só não escreveria nada disso, nessa carta.

Pensei em escrever só para saber como você, o que anda fazendo. Saber o que tem feito de bom. Todos os dias fico imaginando e tentando de alguma forma descobrir mais sobre você. Queria tanto ter notícias suas e essa carta poderia ser para isso. Mas, quando me toquei já tinha escrito mais alguma coisa…

“Oi… Eu te amo”.

Por fim, tudo que pensei ou queria te escrever se resume a isso. Penso que deveria ter lhe dito isso há muito tempo.

📷 @duskmac


 

Sobre o autor

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Publicado por

Mauro Garcia

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.