Moça caminhando entre flores

Não há remédio para o amor, mas amar mais

A tendência da maioria das pessoas, assim que terminam um relacionamento ou sofrem de amor não correspondido, é dizer que nunca mais irão se apaixonar ou se envolver de verdade com outro alguém. É claro que términos e amores frustrados são doloridos, mas trancar as portas e janelas do coração, ainda que este tenha sido partido, não é a melhor decisão a ser tomada.

Se esconder para sempre parece ser uma boa solução, não é? Sim, escondendo-se você não será ferido novamente. Mas você vive para não se machucar? Ou vive para amar? Porque amar é se abrir para ser ferido, você corre riscos assim como em outras áreas da vida. Amar é parecido com respirar. Você arranca seu nariz quando sente um cheiro ruim? Suponho que não. Você suporta isso por um tempo, mas depois volta a respirar normalmente.

É fato que a lei do desapego corre solta nessa modernidade líquida em que vivemos, mas você não precisa segui-la porque passou por uma desilusão amorosa e está desacreditado. Como diz a frase do filósofo Henry David Thoreau, que dá nome ao título desse texto: não existe remédio para o amor, mas amar mais.

Um remédio para algo é uma maneira de curar alguma coisa, certo? Um remédio para o amor curaria o sentimento horrível trazido após a perda de um amor, porém isso não existe. A cura é amar mais. Óbvio que essa não deve ser a ação imediata, afinal o coração fica um tempo sangrando na escuridão até as feridas cicatrizarem. Aliás, esse período é essencial para se reconstruir. A mensagem que essa citação traz, na verdade, é sobre jamais perder a esperança, isto é, nunca desistir do amor verdadeiro e nunca deixar de acreditar que algum dia dará certo com alguém, apesar das decepções anteriores.

Portanto, ame calorosamente, profundamente e sem reservas. Como já resumiu em palavras o poeta Alfred Lord Tennyson: é melhor ter amado e perdido do que nunca ter amado, afinal os bons momentos vividos são impagáveis e inesquecíveis. Repito: é necessário um tempo para o coração se reorganizar, mas é igualmente necessário levar as experiências passadas como aprendizado e não ter medo de amar de verdade novamente. São momentos felizes como os vividos ao lado de um grande amor que dão sentido à vida e fazem valer a pena a nossa existência.

📷 @girlscreating


Sobre o autor

Paulista apaixonada por palavras, torta de limão e cachorros. Aprecio a simplicidade e sou admiradora de sorrisos. Acredito no amor e nos deliciosos clichês. Ah, e eu queria ter uma praia como quintal. Frequentemente sou meio distraída e tropeço nos meus erros. Também sou absurdamente desastrada, mas igualmente sonhadora e idealista. Um dos meus sonhos é viajar o mundo e conhecer o máximo de lugares possíveis antes de morrer. Escrever para mim é condição de existência e uma tentativa de resgatar a sensibilidade que se perdeu na humanidade.

Publicado por

Ana Giavarotto

Paulista apaixonada por palavras, torta de limão e cachorros. Aprecio a simplicidade e sou admiradora de sorrisos. Acredito no amor e nos deliciosos clichês. Ah, e eu queria ter uma praia como quintal. Frequentemente sou meio distraída e tropeço nos meus erros. Também sou absurdamente desastrada, mas igualmente sonhadora e idealista. Um dos meus sonhos é viajar o mundo e conhecer o máximo de lugares possíveis antes de morrer. Escrever para mim é condição de existência e uma tentativa de resgatar a sensibilidade que se perdeu na humanidade.