Rapaz caminhando

Já desisti do amor

Já faz um tempo que desisti do amor, como posso dizer, só não acho que ele seja para mim. Não que eu não penso em um amor, mas sei lá, já acreditei mais nele. Se um dia encontrar esse amor, não vou fugir, provavelmente irei fazer com que seja um bom amor, que valha a pena, que seja para sempre. Vou me esforçar.

Mas também não me importo de não encontrá-lo, não ligo de ter apenas uma pessoa ao meu lado que goste de mim e que eu goste dela. Que a convivência seja boa, que a vida ao seu lado seja boa. Que possamos compartilhar de bons momentos, abraços, beijos, sexo. Onde o presente vai ser importante, mas sonharemos juntos também. Alguém que queira viver e crescer junto. Que entendamos um ao outro, sem precisar de muita cobrança.

Porque não adianta fugir, o amor acaba exigindo cobrança, acaba exigindo mais do que era para exigir. Amor é exagerado, em todos os sentidos, deve ser por isso que desisti dele. Desisti desse exagero, dessas cobranças, desse medo de não conseguir corresponder, de não ser bom o suficiente, de parecer está preso a algo pesado.

Deve ser por isso que já não ligo mais se a pessoa ao meu lado me ama. Quero que seja minha companheira, que esteja nos momentos difíceis e nos alegres também. Não tem nada não ser amado, amor é bem complicado apesar de ser lindo. Então, para ser feliz, feliz, com alguém, no meu entender, não precisa necessariamente que haja amor. Basta compreensão, vontade de ser feliz e que a vida se encaixe.

📷 @pexels


Sobre o autor

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Publicado por

Mauro Garcia

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.