Foi assim

img_4096Foi tudo que consegui ver, o seu sorriso, foi o que consegui ver na primeira vez que te vi, nada mais, não deu tempo reparar em nada, só no seu sorriso, e eu tinha uma leve certeza de que você sorriu para mim, e eu do nada abri um sorriso meio acanhado também. E naquele dia, quem quiser pode até me chamar de bobo e idiota, mas eu me perdi naquele sorriso e tudo o que queria era só encontrá-lo de novo.

Mas foi tão rápido, nem deu tempo perguntar seu nome, se é que iria ter coragem, coração naquela hora estava acelerado. Passei o resto do dia e da noite pensando naquele sorriso e pedindo para ver ele novamente e muito em breve. E acho que de tanto pedir, Alguém lá em cima me escutou, ou o destino sei lá (não sou muito de destino). Só sei que quando percebi, já te via sempre, e assim meus dias foram ficando mais alegres.

O probleminha maior foi só para me aproximar, a timidez não ajuda muito, mas aos poucos fui conseguindo e uma singela amizade criamos, algumas histórias, conversas, passado, corações machucados, nada fora do normal né?! Esperar para te ver, conversar, te dar um abraço, nada mais do que isso, mas isso já me bastava. O mais importante era ter você ali por perto.

Dizem que quando algo vem fácil, vai embora fácil. E foi fácil eu me apaixonar, mas te conquistar foi bem difícil, pois só eu sei o quanto lutei pelo primeiro beijo e para estar de mãos dadas com você, deve ter sido por isso que me apaixonava todos os dias por você, que ainda me apaixono, e por isso que você não poderia ser algo diferente do que o amor da minha vida.

“Difícil mesmo vai ser eu deixar de te amar.”

Sobre o autor

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Publicado por

Mauro Garcia

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.