E se não fosse o "se"?

E se hoje fosse o seu último dia? Se fosse o último beijo, o último abraço, as últimas palavras e o último momento? Você partiria com a certeza de que viveu e fez tudo o que gostaria? Ou você é daquelas pessoas que costuma deixar tudo para amanhã?

A vida passa rápido demais e não nos permite um replay para que possamos voltar no tempo e agir da forma como gostaríamos de ter agido e que por medo preferimos não arriscar.

E o “se” que sempre atrapalha muita coisa que queremos fazer. Essa dúvida entre tentar e não tentar, entre viver e não viver, entre ser feliz e ficar no talvez. Deixe acontecer, ser levado pelo momento e pelo instante. Viva, apenas!

Nada mais ruim do que se arrepender do que não fez. Do que podia ter feito e ficou no “se”. Se arrepender faz parte do processo de aprendizagem e da busca pela felicidade. Viver também é cair e se machucar, depois levantar e continuar andando. Olhe para trás e não diga que não fez nada como medo do “se”.


Em parceria com @tedescrevi | 📷 @ig_humanplus

Sobre o autor

Olá, prazer! Eu sou a Karine Capitini, uma capixaba do Sul do ES. Sou professora e tornei-me escritora por necessidade, pois os sentimentos transbordam dentro de mim. Desde então arrisco-me a colocar no papel tudo aquilo que vem na mente e no coração.

Publicado por

Karine Capitini

Olá, prazer! Eu sou a Karine Capitini, uma capixaba do Sul do ES. Sou professora e tornei-me escritora por necessidade, pois os sentimentos transbordam dentro de mim. Desde então arrisco-me a colocar no papel tudo aquilo que vem na mente e no coração.

5 comentários em “E se não fosse o "se"?”

  1. Sou conhecida por “forçar a barra” , mas nao me imagino sofrendo por nao ter tentado. Logico que se conseguimos um controle entre nao forçar a barra , e nao perder oportunidades seria ótimo 🙂 . Masss… continuo forçando a barra e sendo Sagitariana !!!