Daquele tempo

Sou do tempo que foto de casal era colocada em um porta-retrato e não divulgada na net como troféu de casal mais feliz do mundo. Sou do tempo que momentos especiais eram apreciados segundo a segundo e não a cliques da câmera do celular. Sou do tempo em que o namoro era entre duas pessoas e não elas e uma reca de bisbilhoteiros.

Não tô nem aí pra quem me chama de antiquado, mas amor pra mim é para ser sim compartilhado, mas, apenas por duas pessoas e não em redes sociais. Não posso fazer nada se você acha que divulgar o que faz para namorada (o) e receber vários “likes” é demonstração de amor. Amor para mim é muitas outras coisas e não receber “likes” em fotos.

Amor é companheirismo, cumplicidade, é uma troca de olhares. É saber que pode contar com o outro é se reconhecerem dentro de um abraço. Amar é aceitar o outro com os seus defeitos e qualidades. O amor é sentido entre os dois, e, não compartilhado em redes sociais. Em tempos de curtidas, amar a dois virou coisa de gente careta. Prefiro um relacionamento a dois que seja intenso e verdadeiro, o qual você não precisa expor seus sentimentos, para quem apenas tem curiosidade.


Parceria com @escritosinversosblog | 📷 @duskmac

Sobre o autor

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.

Publicado por

Mauro Garcia

Piauiense cabra arretado, sabe?! Contador por profissão, louco por números... Que ainda acredita no amor, observador de detalhes, onde apaixonou-se por escrever e consegue colocar para fora alguns pensamentos "soltos" que a cabeça e o coração insistem em discutir.