Como sair da "cama"

img_2344

“Isso não é sobre a posição que você dorme ou sobre o tempo que você leva entre acordar e levantar. Isso é sobre conseguir encarar o mundo da fora.”

Primeiramente, a sensação é a de que há um buraco no meio da cama. E aquilo te consome. Aquilo te faz querer ficar ali, inerte, o dia inteiro. A vida inteira. É como se nada além daquele espaço quadrado cheio de cobertores fizesse mais sentido ou valesse a pena. (E Vocês não tem noção da importância que é, para um pessoa em fragilidade emocional, sair daquela zona de conforto que se tornou a própria dor).

Você vai ficar ali acordado um tempo. Vai querer mover os pés, os braços, o tronco. Mas haverá um desânimo que pesa sobre seu físico. Haverá algo mais forte do que os sinais que o seu cérebro manda para os seus músculos. Ainda terá tempo para querer voltar a dormir e duvidar que aquela seja mesmo a hora de dar as caras ao mundo. Você vai suar frio. Vai pensar nas possibilidades que pode criar para dar um telefonema dizendo que, por motivos de força maior, não poderá honrar com seus compromissos hoje. E por incrível que pareça, algumas vezes, você não terá “forças” para dar um telefonema. Mas e aí?

Comece a refletir sobre viver as verdades óbvias. Não há buraco. Não há ninguém mais forte segurando seus braços, suas pernas e seu tronco. O tempo é aquele mesmo. E você manda em você. Você consegue se desvencilhar da sua dor, transformá-la em caverna. Não em lar.

Olhe para cima, imagina o que tem além do seu quadrado, pense na imensidão do que você já é (e nem sabe) e pode conquistar. Lá fora? Lá fora há pessoas de carne, osso e erros. E acertos. Há gente. E não importa o que elas pensam a seu respeito, porque quando você voltar para casa é com você mesmo que tem que lidar. E elas voltam para seus lugares, com as mesmas opiniões formadas sobre tudo como diz a música.

Levanta aos poucos. Levanta por dentro antes de tudo. E não canso de repetir que esta não é uma guerra entre você e você mesmo. É uma batalha entre você e aquilo que quer te roubar. Eu sei que é difícil. Mas não permita. Você não está sozinho! A sua fé acordará e você levantará dessa cama com ela.

5 comentários em “Como sair da "cama"”