Às vezes me saboto

Às vezes me saboto. Deixo que o medo entre, fique um pouco e faço dele zona de conforto. Às vezes me saboto. Deito em mim (por dentro) e me permito ser nada. Um grande vazio desobrigado de tudo.

Às vezes me saboto. Fujo da real força de vontade, e desejo o que me entorpece, ludibria. Às vezes me saboto. Vivo um instante sem o peso dos sonhos, como se não os tivesse e eu ainda fosse jovem demais para suportar suas lutas.

Às vezes me saboto. Quero me cansar de todos e deixo para lá o que era “para ontem”. Deixo o logo para depois. Às vezes me saboto. Saio de todos e volto para mim. Sozinha, despenteada, precisando lavar o cabelo, me despreocupando com as dezenas de mensagens para responder.

Às vezes me saboto, sabia? E só por esse tempo eu não sou/preciso ser ninguém.


📷 @ig_colorshot

Deixe uma resposta