Apostas

screenshot_2017-11-12-09-41-26-11226262962.png

Antes eu apostava nas pessoas, e acredite, inúmeras vezes eu perdi. Hoje aposto na vida, e a vida aposta em mim. Não sou mais refém dos meus medos, desejos e vontades. Aprendi que quando se ama, também se deixa ir, que não se prende, nem se força um amor, que a graça está em deixar ele voar, e ver ele voltar, e quando não volta, apenas calar, e se conformar.

Porque o bom de amar, é ser amado, cuidado e valorizado, sem trancas, amaras, obrigações, é querer estar, é ficar, e se entrelaçar. Parei de ser refém de propostas que diminuíam quem sou. Não sou o que falam, sou o que vivo, e como vivo. Ignoro os dizeres, afinal, ninguém paga as minhas contas, ninguém sente as minhas dores, e ninguém goza o meu gozo.

Tenho meu ponto de paz, me encontro em calmaria, sei bem quem consegue acalmar meu coração, e isso é algo complicado de se fazer, mas não para quem criou esse coração, acelerado, confiado, cordial.

Hoje sei que não sou fácil, mas tenho os melhores pertinho de mim, e eles merecem o melhor, merecem o meu infinito amor e respeito, porque gostar do doce é fácil, quero ver gostar do amargo. Sou como a rosa, posso ser bela, frágil, delicada, mas me encaixo frequentemente com a parte cortante, mas não se assuste, é só saber manusear, a recompensa é significante, eu garanto!

Deixe uma resposta